Education support and cultural workers

Public Services International affiliates represent hundreds of thousands of educational support workers throughout the world, many of who work without job security, fair compensation and benefits, or recognition that their services are vital to ensuring high quality public education for all citizens. The jobs of support workers are on the frontlines of the privatization and casualization struggle within the education sector, and many of these workers face challenges in pursuing their basic freedom to form a union and collectively bargain their terms and conditions of service. More information

Carta da ISP Brasil à prefeita de Icó, Ceará, em repúdio à repressão contra professoras e professores

22 February 2018

No dia 19 de fevereiro, os servidores foram à Câmara Municipal acompanhar a votação de um projeto de lei da prefeita Laís Nunes que reduzia o salário de 362 docentes pela metade, com o corte da carga horária. Foram reprimidos com jatos de spray e balas de borracha pela Polícia Militar do Ceará e pela Guarda Municipal.

ISP Brasil e seu Comitê de Jovens apoiam a greve da FASUBRA

07 November 2016

A greve teve início em 24 de outubro e tem como motivações a oposição à PEC 55/16, que congela os investimentos públicos por 20 anos, e o descumprimento do acordo de greve de 2015. A ISP Brasil destaca a importância da luta em favor dos servições públicos levada a cabo pela FASUBRA em um momento de graves retrocessos promovidos pelo governo ilegítimo de Michel Temer.

A PEC 241 e suas falácias

10 October 2016

Neste ensaio, o sociólogo Marcelo Zero analisa criticamente a Proposta de Emenda à Constituição que busca limitar os gastos públicos. Para ele, o objetivo principal da medida é forçar a restauração do neoliberalismo no Brasil e implantar um novo padrão de acumulação baseado na redução dos direitos trabalhistas e previdenciários, no Estado Mínimo, na alienação do patrimônio e na integração da economia nacional às cadeias internacionais de valor como produtora de commodities e insumos baratos.

Resolução histórica da ONU pressiona Estados a regularem a atuação do setor privado no ensino e a investirem na educação pública

12 July 2016
Photo: teacher & student. Creative Commons - Global Partnership for Education

Regular os fornecedores privados de educação e investir na educação pública. É que exorta o Conselho de Direitos Humanos da ONU (CDH) em uma histórica resolução publicada na última sexta-feira e aclamada por 21 organizações da sociedade civil. A resolução foi aprovada por consenso dos 47 Estados-membros do Conselho de Direitos Humanos da ONU, sinalizando o fortalecimento do apoio à resolução.